quinta-feira, janeiro 28, 2010

Letícia - a irmã da Bruna

Oi, sou a Letícia. Sou a irmã mais nova da Bruna. Tenho 15 anos. Vou fazer 16 em janeiro. Eu fiquei sabendo das sacanagens da Bruna, pois um dia fui até o quartinho dela e senti uns cheiros esquisitos, que para mim era de sexo mesmo. Ela tem andado meio esquisita. Acho que anda trepando com todos os caras daqui do bairro.
Também sou morena, com 1,60m e 52 kg. Sou bem bonitinha. Penso em ser modelo e espero crescer um pouquinho mais, pois sou meia baixinha para a profissão. Os meninos vivem mexendo comigo, quando saio com uns shortinhos curtos que gosto de usar. Tenho uma bundinha linda empinadinha, uma bucetinha peludinha e seios com os biquinhos inchadinhos. Os meninos acham que eu sou um tesão. Detalhe: Era virgem até isso que aconteceu comigo:
Um fim de semana a Bruna foi para a praia, me deixando sozinha com o pai e a mãe. Eu muito curiosa inventei uma desculpa e fui dormir no quartinho dos fundos, da Bruna.
Era sábado à noite. Passava aqueles filmes chatos na tevê. Tava um calor danado. Mais ou menos umas 11 horas fui fechar a janela para ver se conseguia dormir. Cadê o trinco? Não sei como é que a Bruna tem coragem de dormir aqui, com a janela sem poder fechar, ao lado desse matagal, nesse lugar cheio de marginais. Bem, como eu já estava aqui, e já estava meio com sono, resolvi dormir aqui mesmo. Tirei a minha roupa todinha, até a calcinha, pois pretendia dormir com uma camisolinha da Bruna. Antes de me vestir, deitei na cama e acabei dormindo assim mesmo, peladinha completamente. Tava muito calor.
Não sei que horas, achei que estava sonhando, eu senti a minha bunda molhada e abri as pernas de bruço, não sei porque, mas estava gostoso e aí eu arrebitei a bunda. Era uma coisa deliciosa na minha buceta e no meu cuzinho. Nunca tinha sonhado algo assim. Fiquei toda molhadinha na buceta. Ainda meio dormindo, me virei na cama, com a barriga para cima, ficando de pernas abertas e com os joelhos levantados e senti uma coisa quente e molhada na minha buceta, quando então eu abri mais as pernas, e fui levantando a minha bunda, curtindo aquele sonho delicioso e sentindo como se me enfiavam uma língua na buceta naquele sonho, mas aí o sonho foi ficando mais forte e foi ficando real e comecei a me mexer, quando senti duas mãos na bunda, me puxando e um cara invadiu toda a minha buceta com a língua.
Abri os olhos assustada e ví no meio escuro do quarto o vulto de uns quatro caras. Antes que eu pudesse gritar, puseram uma mão grossa na minha boca e o cara me mostrou um cano de um revólver, me dizendo que era melhor para mim eu continuar fingindo que estava dormindo, que era melhor para mim, pois eles me matariam se eu não colaborasse.
Eles perguntaram para mim sobre a Bruna. Eu murmurei que a Bruna estava viajando e que eu era a sua irmã. Eles riram e disseram que eu era mais gostosa que a Bruna e que iriam me fazer gozar bem gostoso.
Eu estava segura nas mãos e pés e de barriga para cima, abriram mais as minhas pernas e o cara meteu de novo uma língua enorme na minha buceta, enquanto outros chupavam meus seios, que ficaram inchadinhos. O cara chupava minha buceta muito gostoso, apesar de eu estar com medo, o que foi aos poucos dando tesão. Eu nada poderia fazer. Aos pouquinhos fui me entregando todinha, começando a gemer. Um me beijava na boca enfiando sua língua nela, outro na buceta e no cu e os outros dois me chupando e lambendo os seios. Me sentia feito uma cadelinha. Não sabia que ser violentada poderia ser gostoso assim. O cara enfiava a língua bem fundo na buceta, até o meu cabaço, depois ficava chupando meu clitóris e lambia minhas coxas do lado e lambia meu cuzinho. Eu ficava gozando e estava arrepiadinha e até empurrava a buceta na cara do sujeito. Por ordem deles eu continuava fingindo que dormia, mas confesso, tava muito difícil. Comecei a abrir as pernas por mim mesma. Mandaram eu segurar o cacete de um deles e eu percebí como era grande e grosso e falaram que esse aí é que iria arrebentar meu cabacinho gostoso e gozar dentro de mim.
Mal disseram isso e o cara já foi se posicionando entre as minhas pernas, que eu abri por conta própria e começou a pincelar aquele negócio duro e gostoso na minha buceta, fazendo eu abrir mais as minhas pernas. Ele apontou aquilo tudo na buceta e foi enfiando. Senti uma dor forte e o cara recuou, me chamando de putinha gostosa. Aí ele falou: Pede para eu meter vamos, senão apanha! Eu logo disse: Mete tudo logo vamos! Tire o meu cabaço e goza dentro de mim! Ele empurrou de novo e o negócio entrou mais. Ele começou a beijar a minha boca e empurrando o pau para dentro de mim. Ele foi indo e vindo.....indo e vindo e de repente doeu muito. Senti que o meu hímem havia se rompido. Uma dor gostosa se apoderou de mim. O cara entrou todinho dentro de mim. Eu gemia de dor, mas ao mesmo tempo sentia prazer sentindo aquele pauzão dentro da minha buceta, que aos poucos foi entrando e saindo devagar. Uma coisa muito dura, mas também muito gostosa. Eu fiquei querendo que ele enfiasse mais, pois apesar da dor, estava gostoso. Ele foi ficando mais rápido e enfiava tudo sem pena de mim. Repentinamente senti que aquele troço foi ficando maior e mais grosso. Ele metia rápido e sentí algo quente dentro de mim. Ele gemia muito e eu também, abraçando ele. Estava toda inundada, senti a porra dentro até do meu útero, me queimando por dentro. Ele espirrava forte aquele líquido dentro de mim. Uma sensação imensa se apoderou de mim. Comecei a esquentar todinha e gozei muito com aquilo duro me empurrando......Quando o cara tirou o pinto, parecia uma cachoeira de porra e sangue....Eu fiquei gemendo na cama, que nem gata no cio.
Me limparam com o lençol da cama e me colocaram de bruço e um cara se posicionou atrás de mim e meteu o pau dele na minha buceta de novo e foi empurrando com força. Daí ele tirou e tentava colocar no meu cuzinho. Enfiou um pouco e eu afastei com muita dor. Os outros me seguraram e o cara empurrou e foi fazendo pressão. Quando ele conseguiu meter eu senti uma dor muito forte e ele parou com aquilo dentro de mim. Aos poucos, ele foi se mexendo. Eu fui me acostumando e ele foi aumentando as idas e vindas. Foi metendo mais rápido e logo me encheu de porra quente e para o meu alívio tirou de dentro. Me deixaram descansar um pouco e aí um cara com o pau duro me mandou chupar, dizendo que queria gozar na minha boca. Ele encostou a ponta na minha boca e mandou eu abrir a boca e fazer a coisa direito. Eu comecei a chupar e lamber e o cara gemia. Aos poucos o pau dele foi ficando maior. Ele me chamava de gostosa, vadia, putinha. Isso chupa gostoso sua vaca. Tira o leite gostoso. Mal disse isso, senti umas espirradas de porra grossa que me encheu a boca. O cara mandou engolir. Quase engasguei, mas tive que engolir. Ele não tirava o pau da minha boca.
Outro dos safados se encaixou entre as minhas pernas e já foi metendo um pau enorme dentro da minha buceta. Os outros falavam para ele: Anda logo, goza logo, vamos embora. O cara metia até o fundo e tirava. Agora já não sentia mais dor. Acabei gozando no pau dele, ao mesmo tempo que ele me encheu de porra também. Abria as pernas com tesão e empurrava minha buceta no pau dele. Ele dizia: isso gatinha, goza gostoso pro teu macho. E eu gozava. Sentia um calafrio na espinha e um calor enorme me apoderava.
Daí ele saiu. Senti aquilo tudo escorrer de dentro de mim, junto com um mar de porra. Os caras se arrumaram logo, falaram que eu era tão gostosa quanto a Bruna. Pularam a janela e fugiram. Eu morta de cansaço, acabei adormecendo quase imediatamente.
Acordei tarde, com a minha mãe me chamando. Já vou mãe. Deixa eu me arrumar. Tava uma sujeira só. Eu estava toda melecada de porra seca. Enrolei o lençol e fui lavar meio escondida. Nossa. Estava me sentindo mais mulher. Fiquei realizada. Adorei ser estuprada. Espero que a Bruna viaje outras vezes. Quero repetir a dose. Já estou sentindo falta daqueles paus dentro da minha buceta......

2 comentários:

  1. vc é uma putinha mesmo add meu msn romario2727@live.com sua putinha safada!!

    ResponderExcluir